terça-feira, 26 de outubro de 2010

Câncer Necrosado

Dentre suspiros profundos e lentos
Fico perdido em minha própria mente.
Em veia o fel involuntariamente
Faz de ti único sentimento.

Sem chão, cobiçando o firmamento.
O tão falado amor inexistente
Mostrou sua face indecente,
Contrapondo seu julgamento.

Inimaginável soneto vomitado,
Fluido viscoso e repugnante
Escoa-te de meu coração.

Almejo destreza ao ser abortado,
Câncer necrosado asfixiante,
Pútrido odor da decepção.


Todos os direitos reservados , caso queira publicar este poema favor comunicar anteriormente ao autor. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário