sábado, 30 de outubro de 2010

Cansei!

Interessante...
Intransponível...
Estressante soneto intolerável de adornos!

Antipatia deste verso!
Sem desmereço aos gênios dos trechos
Mas sinto que perco variantes nos ecos.

Soneto,
Som único,
Sozinho em texto,
Uni articulado,
 Queixo-me!

Bolas!
Volto-lhe a escrever-te,
Quem sabe? 

Outrora se eu quiser um quatro a quatro no inicio
No enguiço do dicionário perco-me em mim.
Na moral inacabada se explora quem lê,
 Talvez querendo, enfim, o sentido da estória,
Fica perdido em memória nos três a três do fim.

Todos os direitos reservados, caso queira publicar este poema favor comunicar anteriormente ao autor.

Nenhum comentário:

Postar um comentário