terça-feira, 26 de outubro de 2010

Coração Alvo

Andei perdido por vales ilusórios
Onde não mais enxergava.
Mas o destino com seus planos provisórios
Tinha um pleno final belo, o traçava...

E você, Linda Ninfa, me esperava
Como Santa Milagrosa de oratório
E eu Maluco, pós-saído em sanatório
Acalentado por seus braços me acalmava

 Hoje sei, por seu sorriso estou salvo
Volto ao rumo correto e procedente
Sobre cicatriz de flecha sou alvo
Novamente me confesso doente

Doença pura de amor inocente
Das reservas preferidas do Cupido
Se estou louco, desvairado e ensandecido
É que lhe entrego o coração intensamente.


Todos os direitos reservados , caso queira publicar este poema favor comunicar anteriormente ao autor. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário