terça-feira, 26 de outubro de 2010

Prazeres Carnais

Envolvem-se em transa,
Trançando os corpos violentamente,
Violando regras puritanas.

Unhas que descarnam colunas
Comunas de tribunal profano.
Em panos leves de pluma
Planando em atos do enquanto.

Ápice do prazer a dois,
Dueto oposto de infames,
Inflama o espírito de gozo,
Emana o vestígio dos cães.

Todos os direitos reservados , caso queira publicar este poema favor comunicar anteriormente ao autor. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário